Parashah – ACHAREI MOT

29.ACHAREI MOT – (Lv.) 16:1 – 18:30

Esta parashah trata principalmente da cerimônia do Yom Kipur. O ritual de Yom Kipur comportava a purificação do Tabernáculo e de tudo o que havia nele; o altar, (vers.16, 17, 20), a fim de eliminar as impurezas de que estava contaminado, pois o Templo, estando no meio da congregação, impregnava-se das impurezas de todo o povo, transmitidas por ele quando expiava por meio das oferendas de sacrifícios, as faltas cometidas; por conseguinte, esta operação era necessária.
Um segundo ato fazia-se para expiar as faltas do sacerdote, de sua família, e as da comunidade Israelita. Aarão transmitia os pecados e delitos da congregação, ao cabrito expiatório por meio da ‘semichah’ (por a mão sobre o animal) após a qual o animal era conduzido ao deserto e jogado de sobre um monte forte e duro (azazel). O ritual dos dois cabritos tem uma analogia com o da purificação do leproso, onde um passarinho era sacrificado, e o outro, concentrando o mal do leproso era solto para que o levasse consigo.
Os poetas Sefaradim da época de ouro da Espanha, imaginando o esplendor do sumo sacerdote em seu serviço de Yom Kipur, no Templo, o descreveram com lindos versos, os quais foram introduzidos no ritual das orações deste dia. Ibn Gabirol escreve: “Bem-aventurados os olhos que viram estas coisas. Bem-aventurados os olhos que viram os Levitas e o povo atento à glória Divina resplandecendo com viva luz e o Pontífice anunciando ao povo que acorria a Ele: De todos os vossos pecados, perante o Eterno, estareis limpos. Bem-aventurados os olhos que viram os muros do santuário amado, a glória Divina irradiando como luminosa claridade, e o Pontífice distribuindo a palavra santa como orvalho benfazejo, cercado dos sacerdotes e do povo, semelhantes às palavras de oliveira, acompanhando-o com a exaltação de um rei”. Yehudah Halevi escreve: ‘Bem-aventurados os olhos que viram cores deslumbrantes e a Glória Divina pairando sobre os aflitos pelo jejum, e o sumo sacerdote proclamando o perdão em nome do Altíssimo e seu aspecto semelhante a um anjo do Eterno.
E guardareis os meus estatutos, e os meus juízos, cumprindo os quais, o homem viverá por eles, Eu sou o Eterno (pereq 18, pasuk 5)
Um erudito escreveu: A ciência e a virtude não são o privilégio de ninguém, seja este pequeno ou grande, rico ou pobre, israelita ou não, pois que o versículo diz ‘o homem viverá por eles’. O pagão virtuoso e instruído tem tanto mérito quanto o Cohen Gadol (sumo sacerdote) descendente de Arão (Haron). Um sábio, mesmo manzer (espúrio), é mais considerado que o Cohen Gadol ignorante.
No livro de Salmos 118:20 está escrito ‘Esta é a porta do Eterno, por ele entrarão os justos’. Não diz: os sacerdotes, os levitas ou os israelitas entrarão, porém os justos, sem distinção de raça e culto.
O capítulo 18 trata principalmente das uniões proibidas por causa de incesto. Nota-se que a filha não foi mencionada entre estas proibições, porém é evidente que se a nora e a neta foram incluídas no caso, subtende-se naturalmente, que a filha também o está. O crime de incesto tem diferentes nomes segundo o grau de parentesco: chama-se ‘zimmah’ (vers.17 e no cap.20:14), ‘tebel’ (cap.20:12), ‘héssed’ (cap.20:17), ‘nidah’ (cap.20:21), ‘aririm’ (cap.20:20,21).
Um homem pode casar-se: com a sobrinha, seja esta filha de seu irmão ou de sua irmã; com a irmã da mulher quando esta não vive mais; e a Torah manda tomar a sua cunhada por mulher quando o marido, isto é, o seu irmão morre sem deixar filhos.
Acreditamos no comentário supra, enriquecido de dados fornecidos por fontes confiáveis, vem dirimir dúvidas que muitas vezes pairam sobre nossas mentes e que hoje, se não foi totalmente esclarecida, acredito que serve ao menos para levantar questões que poderão incentivar a busca de mais informações, para dirimi-las de vez qualquer dúvida.
Shabat shalom!
Mosheh ben Mazal


  • Categorias

  • Arquivos

    • Leitura

Parashah – TAZRIA

27.TAZRIA – Sefer Vaikrá (Lv.) 12:1 – 13:59 Reflexão: O texto da presente parashah, fala-nos de forma muito clara da kasherut do corpo. Certamente não foi em vão que D-us falou através de Mosheh os cuidados que devemos ter na apresentação física de nosso corpo que com certeza se reflete em cheio no “corpo espiritual”. [...]


Continue lendo Parashah – TAZRIA

Parashah – SHEMINI

PARASHAH 26.SHEMINI – Vaicrá (Lv.) 9:1 – 11:47 Reflexão: A leitura desta parashah inicia com o texto de Vaicrá (Lv.) 9:1, 2 – 1. Ora, ao dia oitavo, Mosheh chamou a Arão (Haron) e seus filhos, e os anciãos de Israel, 2. e disse a Arão (Haron): Toma um bezerro tenro para oferta pelo pecado, [...]


Continue lendo Parashah – SHEMINI

Parashah – TZAV

25.TZAV (Lv.) 6:1 – 8:36 Reflexão SACRIFÍCIOS Considerando que a revelação era o meio que D-us usava para aproximar-se de seu povo, assim o sacrifício era o meio pelo qual o povo podia aproximar-se de D-us. O Eterno ordenou: Ninguém aparecerá vazio diante de mim (Ex.34:20; Dt.16:16). Como se originou a idéia do sacrifício? O [...]


Continue lendo Parashah – TZAV

Parashah – PEDUDEI

23.PEKUDEI – (Ex.) 38:21 – 40:38 Reflexão: Nesta parashah colhemos importantes informações, quais sejam: 1ª – Verificando o pasuk 21, lemos: Esta é a enumeração das coisas para o Tabernáculo, a saber, o Tabernáculo do testemunho, que por ordem de Mosheh foram contadas . . . Como já fiz menção numa parashah anterior, todos nós [...]


Continue lendo Parashah – PEDUDEI

Parashah – TETZAVEH

20.TETZAVEH – (Ex.) 27:20 – 30:10 1º – BÊNÇÃOS PARA A LEITURA NA TORAH. Antes de iniciar a Leitura da Torah e no final da leitura da mesma, recita-se as respectivas bênçãos. Benção inicial: O chamado: Barechú et Adonay hamevorach. O oficiante: Baruch Adonay hamevorach. O chamado: Baruch Adonay hamevorach leolám vaéd. Baruch leolám vaéd. [...]


Continue lendo Parashah – TETZAVEH

Parashah – T’RUMAH

PARASHAH – T’RUMAH BÊNÇÃOS PARA A LEITURA NA TORAH. Antes de iniciar a Leitura da Torah e no final da leitura da mesma, recita-se as respectivas bênçãos. Benção inicial: O chamado: Barechú et Adonay hamevorach. O oficiante: Baruch Adonay hamevorach. O chamado: Baruch Adonay hamevorach leolám vaéd. Baruch leolám vaéd. Baruch Atá Adonay, Elohénu Mélech [...]


Continue lendo Parashah – T’RUMAH

Parashah: MISHPATIM

18. MISHPATIM – (Ex.) 21:1 – 24:18 Reflexão: No presente estudo, damos destaques a dois temas, quais sejam: 1 – A Vida em Sociedade e 2 – A Confirmação do Pacto. A vida em sociedade – Após a entrega por D-us dos Dez Mandamentos, D-us “detalhou” as leis que traçariam o perfil de conduta do [...]


Continue lendo Parashah: MISHPATIM

Parashah – YTRÓ

17.YITRÔ – (Ex.) 18:1 – 20: 26. Reflexão: Esta parashah enfoca três temas básicos: O reencontro da família de Moisés, Moisés sobe ao Monte Sinai e Os Dez Mandamentos. A visita de Jetro. Que é isto que tu fazes ao povo? (Porção do pasuk 14, pereq 18). Jetro entendeu logo que era necessário Mosheh preparar [...]


Continue lendo Parashah – YTRÓ

Parashah – B’SHALAR

16.B’SHALACH – (Ex.) 13: 17 – 17:16 Reflexão: A parashah Beshalach apresenta quatro tópicos distintos, quais sejam: a. Marchando em direção ao Mar Vermelho: No texto vemos que D-us foi o estrategista da rota na marcha do povo hebreu. Sua presença foi constante durante os quarenta anos no deserto, pois Ele estava presente na nuvem [...]


Continue lendo Parashah – B’SHALAR

Parashah – BÓ

15.BÓ – (Ex.) 10: 1– 15: 16. Reflexão: A dureza do coração de Faraó: Após os primeiros milagres de Mosheh e Haron, estes foram imitados pelos magos e como conseqüência Faraó colocou em xeque o poder de D-us. Mas a “alegria” do Faraó durou pouco, pois quando a vara Haron a sobrepôs ao poder das [...]


Continue lendo Parashah – BÓ